Acessar App StoreAcessar Google Play

Linhaça moída, canela, cacau, chá verde e muitos outros alimentos podem controlar sua resistência à insulina


A resistência à insulina é uma condição na qual a ação da insulina no organismo está comprometida. Quando isso acontece, mais insulina é liberada pelo pâncreas na tentativa de normalizar os níveis de glicose no sangue, já que ela não está funcionando de maneira adequada.

Esse quadro é caracterizado muitas vezes como um pré-diabetes e se não for tratado pode levar ao desenvolvimento do diabetes em longo prazo. Por isso, a alimentação desempenha papel primordial no controle da resistência a insulina e na prevenção do diabetes.  Além disso, a resistência à insulina é um dos grandes dificultadores da perda de peso, por isso o seu tratamento pode auxiliar no processo de emagrecimeno.

Veja alguns alimentos que tem a propriedade de atuar no controle da resistência à insulina:

– Linhaça moída: contém um alto teor de fibras, uma grande quantidade de ácido alfa-linolênico e é fonte de lignanas. Esse perfil nutricional contribui para o controle dos níveis de glicose e insulina. Consuma cerca de 2 colheres de sopa de linhaça ao dia. Pode ser acrescida em sucos, frutas, vitaminas.

– Oleaginosas (castanhas, pistache, avelã):  são compostas por nutrientes como magnésio, fibras, ômega 3, ômega 9, arginina e antioxidantes que contribuem para o controle da inflamação e da resistência à insulina. O consumo de cerca de 30 gramas por dia já tem demonstrado benéficos.

– Amêndoas: cerca de 60 gramas ao dia.

– Canela: é rica em compostos fenólicos e cromo que contribuem para o controle da resistência à insulina. Cerca de 1 a3 gramas ao dia pode ser acrescida em sucos, frutas, vitaminas e preparações.

– Cacau orgânico: chocolate com alto teor de cacau (70% ou mais) ou cacau em pó são ricos em flavonóides que possuem ação antioxidante capaz de melhorar a resistência à insulina.

– Chá verde: importante fonte de polifenóis que atuam na melhora da sensibilidade à insulina. Para obter mais benefícios desses compostos, opte pelo chá de infusão preparado em casa. Não ultrapasse o consumo de 3 a 4 xícaras ao dia.

– Biomassa de banana verde: a biomassa de banana verde contém um teor elevado de amido resistente que possui efeitos benéficos no metabolismo da glicose. Acrescente 1 cubo da biomassa de banana verde em sucos, molhos, sopas ou no feijão. A farinha de banana verde também pode ser acrescida nas frutas, iogurtes e etc. Confira o link para a receita de farinha e biomassa de banana verde.

– Gymena Silvestre: atua no controle da glicemia e pode ser usada na forma de chá. É encontrada em lojas de produtos naturais.

Além dos alimentos que apresentam efeitos benéficos, existem aqueles que podem prejudicar a resistência à insulina. Por isso fique atento ao consumo frequente desses alimentos, e evite sua ingestão diária caso apresente a resistência à insulina:

– Gordura saturada: o excesso de gordura saturada é considerado um fator de risco independente para elevar as concentrações de insulina e glicose. Isso ocorre porque a gordura saturada induz a inflamação no organismo que compromete a sinalização da insulina.

As fontes alimentares são encontradas principalmente em alimentos de origem animal: gordura da carne, bacon, linguiça, salsicha, queijos processados, manteiga, leite integral e banha.

– Gordura trans: encontradas principalmente em produtos industrializados, como gordura vegetal hidrogenada utilizada na fabricação de biscoitos, bolachas recheadas, empanados tipo nuggets, sorvetes cremosos, margarinas, tortas, molhos para saladas e alimentos comercializados em fast foods.

– Excesso de frutose: proveniente principalmente de alimentos industrializados como açúcar refinado, xarope de milho rico em frutose, doces, refrigerantes, bebidas e outros alimentos açucarados. Sempre leia o rótulo nutricional para identificar a presença de xarope de milho (que é rico em frutose).

– Carboidratos refinados feitos com açúcares e farinhas brancas:  pão branco, massas, torradas, biscoitos, doces, chocolates, sucos industrializados, refrigerantes, balas, arroz branco, etc.

Dicas importantes:

– Reduza a carga glicemia da  refeição:  associe a fruta dos pequenos lanches com uma porção de oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas, pistache, avelã) ou sementes (linhaça, chia, abóbora e girassol). No almoço e jantar, utilize 1 colher de sobremesa de azeite de oliva extra-virgem com acidez inferior a 0,5 para temperar a salada ou colocar sobre a comida.

 – Evite o acréscimo de açúcar nas preparações  e bebidas: por mais que seja dificil quando falamos no café preto, em sucos podemos fazer a combinação de frutas de sabor mais adocicado ou usar água de coco a fim de evitar a necessidade de acréscimo de açúcar.

– Opte por alimentos de menor índice glicêmico: isso porque estes alimentos possuem a capacidade de elevar menos a secreção de insulina do que os alimentos com maior índice glicêmico.

Veja possibilidades de substituição:

ig2

 

O que acha de experimentar um suco em seu dia-a-dia com alimentos que possuem efeitos benéficos na sensibilidade à insulina?

Ingredientes:

Fruta: a sua escolha podendo combinar até 2 opções

Canela: a gosto

Linhaça moída: 1 colher de sopa

Biomassa de banana verde: 1 colher de sopa

Modo de preparo: Bata todos os ingredientes no liquidificador e beba em seguida. Não há necessidade de coar.


//Artigos relacionados