Acessar App StoreAcessar Google Play

Exercícios aeróbios: não são exercícios da moda, são exercícios para a vida!


Conforme descrito em diversos artigos, o treinamento aeróbio, o qual trabalha grandes partes musculares de forma cíclica (exemplos: andar, correr, pedalar e nadar) usa para a geração de energia a glicólise aeróbia, que também é conhecida como sistema oxidativo, e faz suas reações na mitocôndria celular as quais as gorduras são utilizadas como fontes de energia.

Curiosidade: Via metabólica – Sistema Oxidativo

Este sistema inicia com o término da oxidação de carboidratos, envolvendo os ácidos graxos. Por ser AERÓBIO, utilizam oxigênio e possuem o Ciclo de Krebs como sua via final da oxidação. Neste sistema a gordura é imprescindível, por ser uma fonte potencial de energia, sendo quase ilimitada, cerca de 90.000 a 110.000 kcal de energia. As proteínas desempenham um papel secundário agindo mais no repouso e, no exercício, quase não desempenha função, somente em condições extremas, quando ocorre privação de carboidratos e exercícios extremamente longos (como Iron Man), o catabolismo de proteínas durante pode ser significativo. Exercícios: Esta via, principalmente, é responsável pela quebra de gorduras como fonte de energia. Exercícios leves e moderados são os principais deste sistema, como corridas, bike, transport etc.

Por isso, nos exercícios aeróbios, os quais têm intensidade e duração moderadas para altas, o corpo precisará mais energia, entretanto, terá mais tempo para produzí-la. Neste caso, a glicose se transforma em ácido pirúvico o qual no interior da mitocôndria produz a enzima Acetilcoenzima A que por fim reage com o oxigênio da respiração e produz uma quantidade muito maior de ATP (Adenosina Trifosfato – molécula que armazena energia) do que nos exercícios anaeróbios.

Se feitos regularmente, esta categoria de exercícios traz como benefícios à saúde o fortalecimento dos músculos envolvidos com a respiração, o aumento da cavidade ventricular do coração, tonificação da musculatura, diminuição da pressão arterial, aumento no número de células vermelhas do sangue, melhora da circulação sanguínea, aumento das reservas de energia nos músculos o que melhora a sua resistência, além de ajudar no emagrecimento devido a oxidação de gorduras.

Por fim, de acordo com o estudo de HAUSER et.al, 2004, o treinamento aeróbio proporciona um aumento significativo na demanda energética pós-exercício, mantendo-a acima dos valores de repouso, como consequência ocorre a diminuição no percentual de gordura, favorecendo o emagrecimento. Contudo, para que consiga estes benefícios com segurança, é necessário sempre consultar um profissional de educação física habilitado.

Referências

  1. MACHADO, A. Corrida bases científicas do treinamento. 1ª ed. São Paulo: Ícone, 2011.
  2. HAUSER, C.; BENETTI, M.; REBELO, F. Estratégias para o emagrecimento – Artigo de revisão. Revista Bras.de Cineantropometria e Desempenho Humano. 2004; 72-81.
  3. FOX, E.; MATHEWS, D. Bases fisiológicas da educação física e dos desportos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.